Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Estrada para Damasco

Um blogue sobre comunicação clara de ciência

As cores do Outono

15.11.19 | Cristina Nobre Soares

outono-portugal.jpg

 

 

Toda a gente sabe que no Outono as folhas tornam-se castanhas, amarelas ou vermelhas. Mas, e se vos dissessem que as folhas não se “tornam” castanhas, amarelas ou vermelhas, pois sempre o foram?

A cor verde das folhas das árvores é dada por um pigmento, a clorofila. Este pigmento é responsável pela fotossíntese, processo através do qual as plantas se “alimentam”. Mas as folhas também têm outros pigmentos como os carotenos e as xantofilas (amarelos ou laranjas) ou as betacianinas (vermelhos).

O que acontece é que à medida que o Outono se aproxima e os dias vão ficando mais pequenos as árvores deixam cair a folha (caducifólias), uma estratégia para sobreviverem ao Inverno. A clorofila começa então a desaparecer, dando espaço para que os outros pigmentos, que já lá estavam, se revelem, e o Outono ganha as cores que tão bem conhecemos.

No fundo, as árvores não são muito diferentes das pessoas. Enquanto somos jovens, os pigmentos “mais viçosos”, aqueles que associamos à frondosidade da beleza (os verdes), são os que têm protagonismo. Mas o passar do tempo revela os outros, talvez menos perceptíveis, que sempre fizeram parte de nós mas que nos dão outras cores e outro tipo de beleza na meia-idade (o nosso Outono).

6 comentários

Comentar post