Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Estrada para Damasco

Um blogue sobre comunicação clara de ciência

Falar sobre cancro

17.01.20 | Cristina Nobre Soares

_92635042_m1320714-lung_cancer_cell_sem-spl (1).jpg

 

 

 

A Luísa Carreira trabalha em comunicação de medicina e participou na 2ª edição do  comunicar "Comunicar Ciência Clara" e como trabalho final escreveu este texto sobre como falar do cancro com doentes.

 

"Nem preciso de lhe perguntar se já ouviu falar de cancro, pois não? Sabemos hoje que um em cada três portugueses, nascidos nos últimos dez anos, terá cancro, mas a boa notícia é que também sabemos que mais de metade desses doentes sobreviverá à doença. E sim, o cancro é uma doença cada vez mais frequente, mas sabia que isso também significa que há uma melhoria dos resultados no tratamento dos doentes?

Esta melhoria deve-se, em grande parte, aos avanços registados na medicina. Mas será que, atualmente, a forma como o médico diz ao seu doente que tem cancro reflete estes avanços? Foi isso que tentei perceber com o meu trabalho.

Para isso, andei pelos Institutos Portugueses de Oncologia (IPO) a falar com médicos oncologistas. Mas não fui sozinha. Levei um gravador e um pequeno questionário: "Acha que a forma de encarar o cancro tem mudado nos últimos tempos?", "Como é que diz aos seus doentes que têm cancro?" ou "E isto dos meios de comunicação social falarem da doença, ajuda ou dificulta as suas consultas?.  Estas foram algumas das perguntas que lhes fiz, já que queria entender melhor o modo como falam e a linguagem que utilizam com os doentes.

E percebi que sim: atualmente, a forma como o médico diz ao seu doente que tem cancro reflete os avanços registados na medicina. O cancro é cada vez mais encarado como uma doença crónica, e não como uma sentença de morte, como antes achávamos assim que ouvíamos a palavra "cancro".

Com isto, a relação entre o médico e o doente também melhorou. Hoje, o médico não só trata o doente como também o aconselha, e o doente, pelo facto de se falar cada vez mais sobre esta doença, está mais informado e pronto para esclarecer as suas dúvidas nas consultas.

Assim, e como em tudo, descobri que o facto de evitarmos falar de uma coisa menos boa não significa que ela não exista ou que as nossas dúvidas desapareçam. Assim, será sem dúvida melhor falarmos aberta e claramente, sem medo das palavras, sobre o assunto. Sim, sobre o cancro."

Imagem: www.bbc.com

7 comentários

Comentar post